11 março 2019

Pequena Cronologia da HQ - Parte 2

Seguindo a série...

1536

Artista Daniel Hopfer (circa 1470 - 1536 - atual Alemanha).
Foi o primeiro (?) a usar 'Água-forte' em seus trabalhos.
Neste exemplo Deus envia Seu filho para carregar a cruz, logo temos a ressureição, o último julgamento etc.  Optei pela data mais recente provável.

Via British Museum
Ele também quadrinizou outras partes da Bíblia:  Mateus 23:13-31; Mateus 6:9-13; Mateus 10:34-38; mais um outro exemplo bíblico da arte de Daniel Hopfer in Alamy Stock Photo.

1540

Die Lebensalter des Mannes - A idade do Homem - impresso por Jörg Breud II (1510 - 1547 atual Alemanha), obra atribuída ao também artista alemão Hans Holbein der Jüngere (1497/98 - 1543). Xilogravura do ano de 1540, conforme o registro no British Museum.  Aqui talvez a primeira versão de um "progresso" humano, esse tipo aparecerá constantemente até meados do século XIX - mesmo no nosso século XXI ainda é lembrado com memes ou afins:
Via WikiMedia Commons

 1540

História do Primeiro Homem - artista Heinrich Aldegrever (1502 - 1561 (?) - atual Alemanha).  Algumas obras dele aqui.

Via Library of Congress

1547

Horaria Commemoratio Dominice Passionis - algumas cenas da Paixão de Cristo - artista Hans Schäufelein ou Franz Behem (1500 - ? - atual Alemanha (?)).

Via British Museum

1550

O velho, o menino e o burro - optei pela data mais recente - quadrinização da fábula feita com base em desenhos de Hans Schäufelein, impresso por Monogrammist HS segundo o British Museum:

Inté.

08 março 2019

8 de março - Dia Internacional da Mulher

Patrícia Rehder Galvão aka Pagu (1910 - 1962)
Possivelmente a primeira quadrinista brasileira.
Fez algumas HQs no periódico 'O Homem do Povo', como esta de 2 de abril de 1931:


Pra quem ainda não sabe, este blogue conta com uma página no Facebook.  Entre tantos álbuns por lá existe este com algumas pioneiras na revista O Tico-Tico.

Nair de Teffé von Hoonholtz ou Nair de Teffé Hermes da Fonseca aka Rian (1886 - 1981).
A primeira caricaturista brasileira, colaborou nos periódicos "Fon-Fon" e "Careta" entre outros.

Ed. 30 de 1910 - Fon-Fon.   Uma das primeiras, trazia pseudônimo assinado e a identifcação no rodapé
Era muito badalada e homenageada, como nesta caricatura feita por Alfredo Storni (creio eu, julgando pela assinatura) da edição de número 47 da revista Fon-Fon:


 Fez uma esposição de suas caricaturas em 1912, documentada na edição 24 da revista Fon-Fon:


Um exemplo de sua arte em 'Careta' ed. 123 de 1910:


Sua arte aparece também no periódica Le Rire, lá na França, ed. de primeiro de outubro de 1910:


Ainda na revista 'Fon-Fon', no ano de 1921 ed. 4, mais dela:


Inayá - muito provavelmente a primeira heroína dos quadrinhos mundiais - surge em 31 de dezembro de 1886, no traço de Agostini:



Emilie de Tessier aka Marie Duval (1847 - 1890 França/Grã-Bretanha)
Muito provavelmente a primeira quadrinista do mundo.
À partir de 1869 passou a desenhar o Ally Sloper.  Esta HQ assinada por ela é de 1875 (em Judy):

O Dia Internacional da Mulher traz um histórico de muita luta e sofrimento.
Como homenagem às mulheres gostaria de lembrar algumas mulheres, que pela luta e fé, se tornaram mártires.
No traço do artista holandês - nascido onde hoje é a Bélgica - Hieronymus Wierix (1553 - 1619) uma incrível tela de 1609 (ou um pouco antes disso):




05 março 2019

Pequena Cronologia da HQ - Parte 1

Mais uma série aqui no blogue.  E esta tem como personagem principal a HQ.
Ainda não se sabe quando este tipo de arte surgiu e ainda não se criou um scanner poderoso suficiente para varrer todas as hemerotecas de todos os museus e separar todas as demonstrações de arte com esta particularidade - quadros narrativos sequenciais.
Deve ter surgido junto aos livros ilustrados, muito possivelmente com um tema bíblico.
Outros temas bem antigos traçados em formato de HQ são biografias de líderes, fábulas, julgamentos, crimes etc.
Temos também os Progressos de Hogarth (esses 'progressos' no mundo da HQ foram popularizados no século XVIII por trabalhos do Hogarth mas já no século XVII a gente consegue exemplos de outros progressos).
Em alguns panfletos/livros tanto a HQ como um texto (prosa ou verso) traziam a mesma narrativa em duas linguagens distintas em um mesmo papel/meio.
Outra modalidade são as Metamorfoses.
As tiras parece que surgiram no século XVIII.  Um pouco antes, no Japão, livrinhos ilustrados eram publicados - bem parecido aos famosos Álbuns Jabot que apareceriam em 1833.
Voltando ao ano de 1825 temos a primeira Revista dedicada ao cartum e à HQ.
As tiras dos jornalões deram as caras por volta da década de 1890 (ou seria um pouco antes?).
Na década de 1860 surge o primeiro personagem pop dos quadrinhos.
Os suplementos em quadrinhos dos jornalões surgiram também na década de 1890.
Essa é uma pesquisa amadora que adoraria correções e sugestões.
Bom, esqueçamos as colunas e os tapetes e vamos logo abrir as portas desse mundo mágico:

 1180/1181

La Porta di San Ranieri - artista  Bonanno Pisano (1150 - 1200 atual Itália)


 São 24 quadrinhos lidos de baixo pra cima, da esquerda pra direita.  Contam a vida de Jesus Cristo - da anunciação à morte da Virgem.


A primeira vez que li a respeito foi neste link da Bibliothèque nationale de France.  Mas a foto da BnF é de uma réplica da porta, pois a porta original de bronze (postada acima via Cathopedia) está no Museo dell'Opera del Duomo di Pisa - em 1595 ocorreu um incêndio e a porta 'sobreviveu', como é dito na Cathopedia e em Italian Ways.
Um detalhe de um dos quadros - o de número 8.  Fuga para o Egito:


1185/1186

La porta del Duomo di Monreale - também obra de Bonanno Pisano (1150 - 1200 - atual Itália - via Find a Grave)


São 46 quadrinhos lidos de baixo pra cima, da esquerda pra direita.  Contam desde a criação de Adão e Eva até a Ressureição de Jesus Cristo, passando por Noé, Abraão, Isaque... Via Wikipédia.


1270-1282

Cantigas de Santa Maria - texto em Galego-Portuguẽs, atribuído ao Rei Afonso X de Leão e Castela.  São composiçõess (427 ao todo) relatando milagres sob a intervenção de Maria.  Os manuscritos estão divididos entre a Espanha e a Itália.  Vejam um exemplo, o Canto 74:

"Como Santa María guareceu o pintor que o démo quiséra matar porque o pintava feo" 


Aqui todo o canto 74.  Aqui um belo apanhado de algumas HQs de alguns cantos.
Vamos ao Canto 118 - via FacsimileFinder:

"Como Santa María resucitou en Saragoça un mininno que levaron mórto ant' o séu altar"


Agora vamos dar um pulinho no início do século XVI porque exitem muitos e muitos manuscritos neste grande intervalo e prefiro iniciar junto com os primeiros momentos da imprensa moderna para que esta cronologia fique mesmo pequena como diz o título.

1450-1500

Paixão e Ressureição de Cristo - anônimo - atual Alemanha

 Via Bristish Museum

 1505 (?)

Vida de São Cristóvão - primeira e segunda prancha via British Museum - artista Hans Schäufelein (1480/85 - 1538/48 atual Alemanha - via Wikipédia, Spaightwood Galleries, Inc, Artsy):




1510-1520

Vida de Santo Antonio de Pádua - anônimo -  - leitura das figuras (milagres) no sentido horário - atual Itália (?) - via British Museum:



1500-1525

Paixão de Cristo - impresso por Master S (?) - Holanda:


Via British Museum.  Na mesma época encontramos mas duas pranchas, uma mostrando partes da vida de Cristo e outra com partes da vida da Virgem Maria.

Continua no próximo post...

P.S.:  para melhor visualização das imagens clique com o botão direito do mouse e selecione "abrir em uma nova aba"

03 março 2019

Augusto Rodrigues (1913 PE - 1993 RJ)

Esse pintor, caricaturista, poeta, fotográfo, educador etc. também foi quadrinista.
Pelo menos uma HQ ele fez - essa da revista "Vamos Lêr!":

Ed. 91 do ano de 1938 - Vamos Lêr!
Tinha um traço bem simples e encantador em alguns casos, como esse belo rosto feminino:

Site Catálogo de Artes


18 fevereiro 2019

Max Müller - capítulo 91 ao 95

Segue a saga do compositor e quadrinista Augusto Rocha:

A viagem não foi fácil, tiveram que interrompê-la pra enterrar os mortos do escorbuto; o navio foi seriamente danifacado pelo degelo que também atingiu a tripulação; só restou Max e Brutus em um pequeno bloco de gelo onde também estava um hidroavião; Max então rezou e pilotou a aeronave rumo à uma ilhota habitada;

Cap. 91 - ed. 481 de 23 de dezembro de 1914

Cap. 92 - ed. 483 de 6 de janeiro de 1915

Cap. 93 - ed. 484 de 13 de janeiro de 1915

Cap. 94 - ed. 485 de 20 de janeiro de 1915

Cap. 95 - ed. 486 de 27 de janeiro de 1915
Fonte:  Biblioteca Nacional

07 fevereiro 2019

Samuel Curtis Upham - 1819 - 1885

Esse americano fez bem mais que imprimir notas falsas na década de 1860, ele imprimiu (será que a arte também é dele?) esta interessantíssima HQ, em 1861, no Estado da Filadélfia (USA):

The adventures of General Beauregard and his charger - in four parts



Trata-se de uma sátira ao General Pierre Gustave Toutant Beauregard
Bom, fiz um vídeo (com ajuda da Mikhaela) após imprimir e tentar montar o quebra-cabeça da HQ:


30 janeiro 2019

Sesquicentenário de Nhô-Quim

A gente comemora hoje os 150 anos do Quadrinho Nacional, tudo por causa de Angelo Agostini.
Em 2002 Athos Cardoso fez esse excelente compilado.
Em 1984 a ACQ-ESP já comemorava este dia.
Em 1983 Álvaro Cotrim já reinvidicava esta data.
Em 1978 Álvaro de Moya já colocava Nhô-Quim encabeçando uma lista de HQs.
Bom, vamos à capa da revista "A Vida Fluminense" #57 de 30 de janeiro de 1869 (um sábado):


E vamos ao primeiro capítulo (página dupla central, correspondente aos números 728 e 729 - sim, a numeração era bem alto pois era sequencial desde o #1 da revista):


Todos os capítulos feitos por Agostini estão aqui (de 30 de janeiro de 1869 até 15 de janeiro de 1870).

Mas não acabou por aí, Faria fez mais cinco capítulos que estão aqui (de 13 de janeiro de 1872 até 12 de outubro de 1872).

Em 1887 e 1888 Pereira Neto e Bento Barboza fizeram esta paródia de Nhô-Quim.

Feliz Dia do Quadrinho Nacional, e vá clicando nos links acima pra aprofunadar seus conhecimentos.