11 março 2017

O primo pobre dos suplementos?

Quando se fala em suplementos de quadrinhos a gente lembra de Cásper Líbero, Adolfo Aizen e Roberto Marinho.
Mas, e Samuel Weiner - Última Hora?

O jornal nasceu em 1951.

Era uma gama enorme de quadrinhos:

Na segunda-feria tinha o Suplemento de Mistério (Crimes Veridicos, Proezas de Edgar Baker, Jim Ford...);
Na terça era a vez do Far-West (Zé Tampinha, Apache Kid, Ted Faminto, A Mina Secreta, Seu Xinfrim...);
Quarta vinha o Suplemento Juvenil (Jungol, Gavião dos Mares, Coronel Lecrerc da Legião Estrangeira, Lucas – o Garçom...);
Quinta-feira era para o pessoal do Far-West Romântico (O Vaqueiro e a Professora...);
Sexta, Suplemento Romântico (Chamam-me Laura – A Volúvel, Luizinho...);
SábadoSuplemento Infantil (Fé Foquinha e Bacorinho, Paulinho Inventor e Gênio, Trapalhadas da Lucinha, Meco Meco – O Patinho, Pernalonga, Btinho Coelhense, Mestre Corvo, Erloque Domes – O Detetive...).
Os suplementos de quarta e quinta vierma um pouquinho depois da estreia do jornal, ainda em 1951.
Na edição 14 trouxe essa propaganda:


Trazia tirinhas de Otávio Câmara de Oliveira:

Ed. 9 - 1951

Charges/tirinhas do Lorenzo Molas:

Ed. 9 - 1951
Ed. 13 - 1951
HQs de Lucinha (que não consegui identificar o autor):

Ed. 5 - 1951
Da Belinha (que também não fui feliz em identificar a autoria pois gostei da personagem, é bem astuta):

Ed. 29 - 1951
Um exemplo do Pernalonga:

Ed. 29 - 1951
O jornal contava também com essas sacadas geniais do Nássara (que conheci via Enciclopédia dos Quadrinhos - Goida & Kleinert):

Ed. 10 - 1951

Ed. 26 - 1951

E o Nássara ainda fazia muita HQ/tirinhas:

Ed. 6 - 1951

Ed. 7 - 1951

Ed. 9 - 1951

Ed. 55 - 1951

1951

Inté.

P.S.:  Lá na Biblioteca Nacional.  O jornal ainda contou com HQs de Daniel Azulay (mas ainda tou no ano de 1951).

2 comentários:

Quiof disse...

A produção era feita pela EBAL, tanto que publicavam anúncios dela.

Quiof disse...

Esse é o Tarzan do Jesse Marsh, um dos poucos quadrinistas negros da época.